HM PRIORIZA CASOS DE CORONAVÍRUS; UPA SERÁ REABERTA COMO CENTRAL DE APOIO

A Secretaria de Saúde criou um plano de contingência para atendimento dos casos suspeitos e confirmados de pacientes com coronavírus. O Hospital Municipal “Dr. Tabajara Ramos” centralizará todas as ações, servindo de unidade para os casos urgentes de internação e isolamento.

A UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Jardim Novo será utilizada para outras patologias, como a dengue. Desde semana passada foi traçado o plano de utilizar o prédio da UPA do Santa Marta para receber casos considerados semicríticos. A Prefeitura está avaliando as condições de algum hotel que possa oferecer leitos para pacientes em isolamento.

Toda essa estratégia de enfrentamento ao coronavírus vem sendo discutida nas inúmeras reuniões com profissionais de todos os setores da saúde. Embora a cidade esteja sem casos confirmados, aguardando a divulgação dos exames coletados nos 10 pacientes suspeitos, o planejamento foi todo traçado para atender a um possível aumento da demanda.

ATENÇÃO BÁSICA

As UBSs (Unidade Básicas de Saúde) e USFs (Unidades de Saúde da Família) continuarão atendendo a população em geral, dispondo de estrutura para casos suspeitos de dengue, realização de pré-natal, vacinação de crianças e idosos e casos sintomáticos respiratórios leves.

Para atender a essa demanda, a Secretaria de Saúde de Mogi Guaçu está deslocando os médicos do CEM (Centro de Especialidades Médicas) para reforçar o atendimento na rede municipal no serviço de triagem de pacientes sintomáticos respiratórios leves. A Secretaria de Saúde também escalou pediatras e ginecologistas para auxiliar na triagem na Atenção Básica.

UPA DO JARDIM NOVO

A UPA do Jardim Novo continua apta a atender outras patologias, dentre elas casos suspeitos de dengue, tentando absorver a demanda de quem procura pelo Pronto Socorro do Hospital Municipal.

HOSPITAL MUNICIPAL

O movimento no Pronto Socorro do Hospital Municipal está abaixo do esperado, o que demonstra que a população está consciente que é preciso permanecer em casa. O HMTR irá centralizar atendimentos dos pacientes classificados como críticos e semicríticos.

O paciente que estiver com dificuldade respiratória e que estiver em casa ou em alguma UBS/USF, poderá requisitar uma ambulância do SAMU para ser encaminhado até o Hospital Municipal, que está ampliando sua oferta de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e de isolamento.

Com a suspensão das cirurgias eletivas, o Centro Cirúrgico será transformado em UTI, com capacidade para 15 leitos. Um setor da oncologia também está sendo adaptado para contar com leitos de isolamento, assim como toda a hotelaria.

A montagem dos leitos depende da locação e compra de equipamentos utilizados em UTI e em isolamento. A Secretaria de Saúde, devido os decretos de situação de emergência e de estado de calamidade, aprovado nesta segunda-feira, 23, pela Câmara, tem prioridade para investir no que é necessário para atender a população.

UPA DO SANTA MARTA

O prédio da UPA do Santa Marta está sendo preparado para atender os chamados casos semicríticos de coronavírus, em apoio ao HMTR. Os aparelhos de ar-condicionado foram instalados nesta terça-feira, 24. Na quarta, o imóvel começa a ser pintado para receber os últimos ajustes até a montagem dos leitos.

Segundo a direção do HM, ainda não é possível prever o número de leitos a serem criados, mas a UPA servirá para dar suporte caso a procura por pacientes no HM evolua. Respiradores e outros equipamentos, além de mobiliários, estão sendo adquiridos e locados para a montagem destes leitos.

SANTA CASA

A Santa Casa continuará atendendo outras patologias, com reserva de leitos para gestantes e crianças enquadradas como casos suspeitos de coronavírus. O Pronto Socorro da Santa Casa está com aparente tranquilidade, devido à queda do índice de intercorrências nestes dias em que prevalece estado de quarentena em todo o Estado.

A Prefeitura também avalia as condições de um hotel que pode servir como unidade responsável por atender pacientes que precisam permanecer em quarentena. O hotel não será uma unidade de internação e nem estará apto para receber casos graves, mas apenas para aqueles pacientes que não cumprem isolamento domiciliar, que é imprescindível para pacientes suspeitos de coronavírus.